http://www3.ambiente.sp.gov.br/institutodebotanica

Núcleo de Pesquisa Curadoria do Herbário

O Núcleo de Pesquisa Curadoria do Herbário SP (NPCHSP) desenvolve projetos em três linhas interligadas de investigação: Sistemática de Plantas Vasculares, Florística e Estrutura e Dinâmica de comunidades vegetais.

A sistemática é o núcleo central da ciência da biodiversidade, seus quatro temas principais – diversidade, filogenia, biogeografia e classificação – formam a base para as demais disciplinas da biologia. Dentro dessa linha, baseados em dados morfológicos e moleculares, no NPCHSP são realizados estudos de taxonomia (descrição, identificação, nomenclatura e classificação de organismos), filogenia (história evolutiva ou padrão de descendência) e biogeografia em vários grupos de plantas vasculares. No NPCHSP estudamos especialmente os grupos nos quais temos especialistas: samambaias e licófitas, Dioscoreaceae, Bromeliaceae, Xyridaceae, Poaceae, Loranthaceae, Santalaceae, Urticales, Euphorbiaceae, Malpighiaceae, Thymelaeceae, Convolvulaceae, Acanthaceae e Asteraceae.

Estudos florísticos constituem-se na elaboração de inventários de espécies de determinada área. Tais listagens quando comparadas a outras permitem inferências sobre a diversidade, detecção de espécies endêmicas, raras, ameaçadas etc., e estado de conservação das vegetações, sendo muito utilizadas para tomadas de decisão sobre criação de unidades de conservação e políticas públicas.

Os estudos de estrutura e dinâmica de comunidades vegetais visam também o conhecimento sobre funcionamento, história, distribuição e relações ambientais de uma comunidade vegetal.

No NPCHSP os estudos de florística e estrutura e dinâmica de comunidades vegetais são realizados principalmente em vegetações ocorrentes no Estado de São Paulo, porém nossos especialistas também colaboram com pesquisas em outros estados e países.

O NPCHSP ainda é responsável pela curadoria das coleções de fanerógamas e de samambaias e licófitas do Herbário SP. A coleção conta atualmente com mais de 400.000 espécimes, é a terceira maior do Brasil e, além de servir de base para os estudos desenvolvidos dentro do Núcleo, é fonte de dados para pesquisadores e estudantes de todo o Brasil e do exterior, sendo que recebemos cerca de 70 visitantes anualmente. Imagens e dados de espécimes, especialmente tipos nomenclaturais, estão sendo disponibilizados on-line.