http://www3.ambiente.sp.gov.br/apa-parque-e-fazenda-do-carmo

Sobre a Área de Proteção

lago-do-pq-do-carmo-thalita-rodrigues

Histórico da área
A área onde está localizada a APA Parque e Fazenda do Carmo fazia parte da Fazenda Caguaçu, constituída e mantida por padres da Província Carmelitana Fluminense entre 1722-1919. No início do século passado, a fazenda foi desmembrada em várias glebas e em uma delas criou-se a Fazenda Nossa Senhora do Carmo.

Nos anos 50, a fazenda foi adquirida pelo Engenheiro Oscar Americano, que a transformou em espaço de lazer, realizou inúmeras melhorias, plantou eucaliptos, e criou ao lado um loteamento urbano, hoje o Jardim Nossa Senhora do Carmo. Após o falecimento de Oscar Americano, em 1974, a prefeitura de São Paulo comprou a fazenda dos herdeiros, e criou o “Parque do Carmo”, inaugurado em 1976.

Nos anos 80, a COHAB adquiriu uma grande quantidade de terras na Fazenda do Carmo e cedeu um terreno de 151.460.00 m² para a implantação de um aterro sanitário para a prefeitura de São Paulo. Devido aos impactos trazidos com a operação do aterro, principalmente quanto ao forte odor proveniente dos gases gerados pelo aterro e pela “piscina” de chorume, diversos movimentos sociais da Zona Leste se uniram pela desativação do aterro, culminando em um acampamento que durou 17 dias e 17 noites impedindo a entrada de caminhões de lixo.

Em 1987, em virtude de toda a movimentação da população da região pela preservação da área, um parlamentar elaborou Projeto de Lei para criação da APA. O projeto tramitou por dois anos na Assembleia Legislativa, entre apresentação, aprovação, veto do governador e derrubada do veto do governador pelos parlamentares.

Em 1989, a APA do Carmo foi criada por meio da Lei nº 6.409/89 e em 1993 foi editado o Decreto nº 37.678/93 que a regulamentou.

Em outubro de 1992 é inaugurado o Sesc Itaquera. A unidade possui lago com 5.000 m², ginásio com 3 quadras poliesportivas, lanchonete, 3 quiosques de alimentação e restaurante self-service, parque aquático, quadras poliesportivas descobertas, quadras e paredão de tênis, quadras de futebol, praça central para atividades, eventos, recreação, estar e convivência, quiosques com churrasqueiras, praça de eventos com 5.000 m², parque lúdico, brinquedo Espaço de Aventuras, palco da orquestra, pólos de educação ambiental com viveiro de plantas, horta, orquidário, hidroponia, pomar, piscicultura e reciclagem.

Em 2003, depois de um intenso trabalho do Conselho Gestor da APA, a prefeitura transformou a Zona de Vida Silvestre da APA em uma UC de Proteção Integral, o Parque Natural Municipal Fazenda do Carmo (Decreto Municipal nº 43.329/03), ampliado em 2008 (Decreto nº 50.201/08) e que hoje conta com quase 500 ha de área protegida em contraposição à densa ocupação urbana que o circunda, representando a primeira Unidade de Conservação de Proteção Integral da capital paulista instituída em meio urbano.